Bom, aqui pelo Linkedin, a maioria das pessoas demonstra muito gosto pela leitura. É frequente ver sugestões de livros, partilhas de opiniões sobre determinada obra ou incentivos à leitura, mas a realidade é que a maior parte dos portugueses não gosta de ler.

Quando dava aulas e alertava os meus alunos para a importância da leitura, o mais comum era ver narizes torcidos e comentários como “que seca!” Isto só quer dizer uma coisa: se os mais jovens não cultivam o hábito da leitura é porque não têm esse exemplo em casa, pelo que estamos a falar de um universo muito maior, o que é, a meu ver, lamentável. 

Causas estruturantes à parte, penso que muitas pessoas não lêem porque vão alimentando uma série de desculpas, as quais desmistificarei de seguida:

1.     Não tenho tempo

Esta é a mais usada, aliás, esta é usada para tudo, mas vou contar-lhe um segredo: isto não é verdade!

Tcharam!

O conceito de tempo é universal e por isso tem tanto tempo para ler como eu, o seu vizinho ou outra pessoa qualquer do mundo! Todos temos exatamente 24h num dia, portanto, poderá, eventualmente, dizer que ainda não conseguiu organizar-se de modo a dedicar mais tempo à leitura. Por outro lado, tudo nesta vida é uma questão de prioridades, por isso pode decidir que tem mais onde usar o seu tempo e está tudo bem, só não diga que não tem tempo porque isso não faz sentido! Estamos de acordo até aqui, certo?

Então, vamos lá…ler é um hábito como outro qualquer e, como tal, cabe-lhe a si determinar quando lhe faz mais sentido fazê-lo. Se aprendeu por copiação com os seus familiares, pode ser mais fácil enraizá-lo, no entanto o estilo de vida da sociedade actual pode levá-lo a desviar-se deste costume, por ter demasiadas tarefas e ser demasiado rápido.

Assim sendo, pode decidir ler apenas quando tiver um breve espaço para si, sem regras nem imposições, ou ser um pouco mais rígido.

No meu caso, decidi que iria ler sempre um pouco antes de dormir – pode ser uma linha, um parágrafo, uma página, um capítulo ou até o livro inteiro se assim desejar e não interferir com o meu bem-estar, mas se houver um ou outro dia, ou mesmo uma ou outra semana em que não consiga ler o mundo também não vai acabar! Por princípio ler deverá ser uma atividade prazerosa, escolha o momento que mais lhe fizer sentido e se adequar às suas rotinas.

Gostaria ainda de acrescentar que, por vezes, somos demasiado duros connosco próprios e não valorizamos as pequenas ações. Por exemplo, atualmente todos nós passamos um tempo considerável nas redes sociais, onde lemos posts e artigos – isto não deixa de ser leitura e, por isso, há que celebrar as pequenas conquistas e estar consciente que não é só a forma mais tradicional de leitura que conta!

Desculpa nº1: Não tenho tempo

2.     Não tenho dinheiro para livros

Esta é uma questão sensível e, de facto, os orçamentos familiares são, por vezes, tão apertados que mal chegam para as necessidades mais básicas, quanto mais para elementos de cultura e lazer…

De qualquer das formas, esta não deixa de ser uma desculpa para não ler, pois tem sempre algumas alternativas, nomeadamente:

  • As bibliotecas municipais – são uma excelente opção, pois poderá inscrever-se como leitor e adquirir vários livros (e não só) gratuitamente; basta que assuma o compromisso de devolver o material na data estipulada e poderá voltar a levar mais obras; informe-se junto da biblioteca municipal mais perto de si e cumpra as regras, pois esta é uma ótima forma de se cultivar gratuita e confortavelmente;
  • Amigos/ familiares/ conhecidos – se realmente deseja ler e não tem dinheiro para adquirir livros, pode partilhar esta questão com as pessoas mais próximas de si e proporcionar um movimento de troca e partilha de material, aumentando assim a possibilidade de ler mais livros sem gastar um cêntimo.

 3.     Comprar livros é um risco, podem ser desinteressantes

É uma verdade, nem todos nos identificamos com todo o tipo de livros, mas, se não quer correr o risco de gastar dinheiro num produto do qual não vai gostar, que isso não seja impedimento para ler!

A ideia é fazer uma breve pesquisa do livro antes de o adquirir e aqui tem duas opções:

  • Ou vai à livraria, lê a sinopse e folheia o livro;
  • Ou pesquisa on-line – a maioria das livrarias tem a informação on-line acerca dos livros, com a sinopse e, cada vez mais, com opiniões de outros leitores que já adquiriram o produto; alguns até permitem “folhear” digitalmente.

Por exemplo, no meu caso, os livros que mais gosto de ler por lazer são os romances históricos porque me permitem sempre viajar no tempo, viver a história e aprender. No entanto, já iniciei muitos de que não gostei e, depois de muito experimentar, tenho alguns autores de referência que nunca desiludem. De referenciar, a nível nacional, a grande Isabel Stilwell que me faz, através da sua escrita, entrar completamente na história e viver o momento como se fosse eu própria uma personagem da mesma. José Rodrigues dos Santos ou Manuel Sousa Tavares também são autores que adoro ler até porque, não querendo generalizar, normalmente os jornalistas são bons escritores!

Depois de identificar o tipo de leitura e/ ou os autores com quem se identifica mais, cada vez se tornará menos arriscado investir em livros, continue a procurar, continue a ler!

    4. Não tenho espaço

Mais uma desculpa! Sabe porquê? Pode sempre:

  • Dar ou doar

Sempre vivi em casas muito pequenas e aprendi a ter um estilo de vida muito minimalista, pelo que tenho apenas o estritamente necessário. Estou constantemente a destralhar e nem os livros escapam! Apesar de me ter custado um pouco, a dado momento reuni todos os meus tesouros (para mim é isso que os livros são) e priorizei: escolhi aqueles de que não tinha gostado tanto ou cuja re-leitura ou utilidade já não me faziam sentido e doei à biblioteca municipal – eles agradeceram e eu também por poder praticar uma boa acção.

Se não quiser doar a bibliotecas, pode sempre dar a um amigo ou familiar como presente numa ocasião especial, ou simplesmente porque sim. Dar ou doar é um exercício de desapego maravilhoso que nos deixa leves e permite criar espaço (física e mentalmente) para coisas novas!

  • E-book

Hoje em dia existem estas coisas encantadoras que são os e-books. Tratam-se de livros digitais. Compra o seu livro on-line, descarrega-o e poderá lê-lo confortavelmente no dispositivo que mais lhe agradar: computador, ipadtablet, telemóvel…guarda o seu livro no computador, disco externo ou cloud e voilá, muito simples, não precisa de lhe limpar o pó nem de espaço numa prateleira para o arrumar!

5.  Ler é uma seca, uma perda de tempo

Socorro! Cada vez que ouço isto sinto uma facada no peito! Não consigo compreender como alguém é capaz de ter esta opinião!

Não vou dizer que já não li livros desinteressantes. Para mim o tipo de escrita, o género literário e o tema do livro são determinantes, mas há formas de focar-se naquilo que realmente gosta de ler, como por exemplo o indicado no ponto 3. Experimente vários estilos e encontre o seu.

Seja por necessidade profissional ou por motivos de lazer, ler é tudo menos um desperdício de tempo. Está mais do que comprovado que ler traz muitos benefícios, tais como:

  • Aumento do vocabulário;
  • Desenvolvimento do intelecto;
  • Diminuição dos níveis de ansiedade;
  • Estímulo da criatividade;
  • Entre muitos e muitos outros!

Se não é propriamente adepto de dedicar tempo a um livro e consegue fazer mais do que uma atividade ao mesmo tempo, então pode, de facto, aproveitar atividades menos intelectuais (arrumar a casa, exercício físico, deslocações para o trabalho, entre outras) e conjugá-las com a leitura por audiobook. Assim, “mata dois coelhos de uma cajadada só” e consegue aproveitar muito bem o seu tempo.

Seja qual for a modalidade escolhida e que mais se adequa às suas necessidades e estilo de vida, vale sempre a pena investir o seu tempo na leitura. Mude o mindset de “perder tempo” para “investir tempo” e vai ver que se vai sentir muito mais confortável. Os benefícios far-se-ão notar rapidamente!

E então, vai continuar a alimentar as suas desculpas para não ler?

Que outras desculpas costuma usar?

Partilhe a sua opinião, vou gostar de saber!

—– Artigo originalmente publicado no Linkedin. —–

Partilhar é cuidar!

shares
Don`t copy text!