CUIDADO COM O TOM DE VOZ

Ao dirigir-me a uma determinada loja de comércio, a fim de adquirir um produto, expliquei o que pretendia, fazendo comparação com outro produto de elevada qualidade, mas indiquei que queria um mais “em conta”, ao que a funcionária me responde:

– “Não há nada que se compare ao X!” Fim.

O tom de voz que usou fez-me sentir mal por não poder gastar mais do que determinado valor, quando, na realidade, o que aconteceu foi que esta funcionária não teve a capacidade de me ajudar. Pior, fez-me acreditar que era eu que estava mal nesta equação.

Hoje em dia existem opções para todos os bolsos e, mesmo que não disponha de outros produtos, pode sempre ser criativo e encontrar alternativas, desde que tenha vontade ajudar o seu cliente. Pode mesmo criar-lhe uma necessidade que ele nem sabia que tinha, ou conseguir vender o produto mais caro, se souber argumentar.

Lembre-se: usar o tom de voz para fazer insinuações em nada beneficia a relação que quer estabelecer com o seu cliente. 90% dos conflitos devem-se ao tom de voz errado e apenas 10% às diferenças de opinião. Então, transmita a mensagem ao seu cliente de forma calma, ponderada, serena e objetiva, de modo a que este a perceba claramente e sem “interferências”.

Partilhar é cuidar!

shares
Don`t copy text!