Já aqui publiquei um texto sobre o livro de reclamações e a importância de reclamar. É decisivo para identificar problemas e diminuí-los/ eliminá-los, mas elogiar não é menos necessário. É através do reconhecimento que as pessoas e as empresas encontram motivação para fazer mais e melhor e, embora o agradecimento das chefias seja importante, no fundo há sempre um cliente a satisfazer, logo, a sua gratidão direta é muito compensadora.

Sabia que existe um livro específico para agradecer, elogiar, deixar uma palavra simpática? É verdade, é o antónimo do livro de reclamações e designa-se “livro de elogios”. Na verdade, a maior parte das pessoas não sabe que este livro existe, porque ainda são poucas as empresas/ entidades que o possuem. Ao contrário do livro de reclamações, não é obrigatório nos locais de atendimento ao cliente e, portanto, as empresas não lhe vêm grande utilidade.

Seria importante aderir a esta prática, em que todos têm um papel decisivo. Por um lado, as empresas e as entidades devem adquirir o livro de elogios e deixá-lo visível ao público. Por outro lado, os clientes terão que perguntar sempre nos locais se o possuem, de modo a gerar interesse e, eventualmente, a aquisição.

É claro que, por norma, quando um cliente gosta do serviço e do atendimento que lhe foi prestado, agradece e elogia oralmente, no entanto, ter um registo escrito permite formalizar o agradecimento, para que todos na empresa/ entidade tenham conhecimento da sua satisfação. Isto é importante, não só porque poderão, desta forma, dar um reforço positivo ao colega, mas porque, embora nem sempre o cliente tenha esse conhecimento, este agradecimento reflete o trabalho de toda uma equipa, portanto, todos estão de parabéns, todos têm que saber que o cliente o reconheceu. Desta forma, as pessoas sentem-se mais motivadas a dar o seu melhor, porque o seu esforço faz a diferença na vida dos seus clientes.

De qualquer das formas, se a empresa ou a entidade onde foi muito bem atendido ainda não possui livro de elogios, existem outras formas de reconhecer a sua competência, que esta não seja uma desculpa para não elogiar. Tem as seguintes alternativas:

  • Naturalmente, agradeça e elogie direta e oralmente ao profissional que o atendeu e, se possível, dê também uma palavrinha à gerência;
  • Algumas empresas não têm livro de elogios, mas têm livro de honra – peça-o e descreva o episódio, teça elogios e agradeça de forma sincera o que fizeram por si;
  • Vá ao site da empresa e verifique se existe um local onde possa deixar a informação simpática que pretende;
  • Procure a empresa nas redes sociais e deixe um comentário ou avaliação, descrevendo o sucedido da melhor forma possível;
  • Use a página pessoal, do Linkedin, do funcionário que o atendeu e deixe uma recomendação, explicando porque o faz;
  • Existem sites específicos, como é o exemplo do tripadvisor, que servem exatamente para deixar a sua opinião – procure-os e classifique, elogie;
  • Se não encontra nada disto, envie um email para a empresa, idealmente para a chefia, mas, caso não tenha acesso a este contacto direto, o email das informações também serve, o importante é deixar o seu agradecimento;
  • Recomende: não há melhor forma de agradecer do que recomendar um profissional ou uma empresa; ao recomendar está a dar uma garantia de satisfação, mas também está a correr um risco, por isso, se o faz, este é um grande voto de confiança.

Neste momento ocorre-lhe: mas eu lá vou perder tempo a escrever ou à procura disto ou daquilo para agradecer! Digo “obrigado” e chega bem! Bom, se o disser já é qualquer coisa, muitos há que nem isso fazem, mas, lembre-se que o mundo dá voltas e, um dia, poderá ser você do lado de lá. Não gostaria de ser reconhecido pelo seu trabalho, de uma forma mais intensa?

Se este argumento não lhe chega lembre-se que agradecer/ elogiar é uma oportunidade de:

  • Praticar o bem;
  • Dirigir uma palavra de apreço;
  • Fazer alguém feliz;
  • Gerar sorrisos;
  • Tornar o dia de alguém melhor;
  • Sentir-se de coração cheio.

Não foi à toa que a RTP2 criou o Movimento Gentil, ou que a Laíze Damasceno criou o Marketing de Gentileza. Hoje em dia as pessoas andam demasiado apressadas, ninguém tem tempo para nada, especialmente para praticar uma boa ação. É uma correria, não há tempo para ser gentil e estes dois projetos são o exemplo de que é preciso despertar consciências!

Pare! Elogie!

Lembre-se que comportamento gera comportamento e fazer o outro feliz é trabalhar para a sua felicidade!

E você, costuma elogiar?

Já tinha ouvido falar no livro de elogios?

Conte-me tudo, vou gostar de saber!

—– Artigo originalmente publicado no Linkedin. —–

Partilhar é cuidar!

shares
Não copie o texto!