A nossa história, as nossas experiências, a nossa educação, a nossa formação, as nossas crenças, os nossos amigos, a nossa família, os nossos gostos e todos os nossos contextos influenciam a forma como pensamos e atuamos.

Mas sabe que mais? Há sempre outra maneira de fazer, ver ou pensar.

Se a forma como conduz a sua vida lhe traz benefícios, não tem porque mudar; no entanto, se, de alguma forma, se sente insatisfeito com algo, porque não mudar a forma como age e como pensa? Fazer as coisas de forma diferente, muito provavelmente vai trazer-lhe resultados diferentes. Então, abra a sua mente a novas possibilidades, explore outras opções, investigue novas hipóteses, coloque em prática, teste. Se não lhe ocorrer mesmo nada, depois de muito pensar, peça ajuda a um amigo, a um familiar, a um profissional. Às vezes uma simples conversa ajuda a desbloquear o pensamento e faz milagres!

Analisar a sua abertura a novas possibilidades vai ajudá-lo a conhecer-se mentalmente. O seu nível de flexibilidade diz muito sobre si. Entre na sua mente e observe a forma como resiste a mudanças, às novidades e às eventualidades. Replique para outros contextos. Compare, conheça-se. Defina limites intransponíveis, mas abra a sua mente para a possibilidade de haver alguns limites que possam ser ultrapassados. Só com a auto-superação crescemos!

Lembre-se: o cérebro é plástico e aquele provérbio que diz que “burro velho não aprende línguas” não é verdadeiro. Não mesmo!

Ouse conhecer-se melhor e abra a sua mente!

Passe para me contar as aprendizagens e as mudanças que abrir a sua mente lhe trouxe.

Para um processo de auto-conhecimento mais célere e eficiente não hesite em contactar-me, terei o maior gosto em dar-lhe a mão nesta sua caminhada.

Partilhar é cuidar!

shares
Não copie o texto!