Nunca, na história da humanidade, estivemos tão perto e tão longe uns dos outros.

A tecnologia dá-nos possibilidades imensas, um acesso super facilitado, uma rapidez extraordinária e uma solidão atroz.

Socializar ganhou um novo significado e temos que nos adaptar às novas formas de nos relacionarmos, mas o importante é que nos continuemos a relacionar, seja lá como mais fizer sentido para cada um de nós.

O ser humano é um ser social e não foi concebido para viver sozinho, por isso é importante que se relacione e que analise quem é quando está com pessoas. Verifique se existem pessoas que lhe despertam sentimentos mais negativos e porquê, como reage a esses confrontos e o que pode aprender sobre si com eles. Analise quais as características das pessoas com quem se sente melhor e se gosta mais de si quando está com elas.

Relacionar-se com outras pessoas, e o mais diferentes possível, permite-lhe abrir os horizontes, perceber que existem várias formas de viver a vida e que está tudo bem com isso, aprender com as experiências dos outros, encontrar pessoas com as quais se identifica mais e menos, perceber porquê, trabalhar a aceitação, a gratidão e a empatia.

Observe-se de fora e aponte:

  • que tipo de relações costuma alimentar na sua vida? São relações saudáveis e produtivas ou são relações tóxicas e que em nada o acrescentam? O que isso lhe diz sobre si?
  • costuma dar mais, receber mais ou dar na medida que recebe, receber na medida que dá nas suas relações? Essa equação é justa para si? O que lhe diz essa dicotomia entre dar e receber sobre si?
  • quais as características pessoais, emocionais e psicológicas que emanam das suas relações?   

Reflita sobre as conclusões.

Ouse conhecer-se melhor e relacione-se!

Passe para me contar as aprendizagens e as mudanças que relacionar-se lhe trouxe.

Para um processo de auto-conhecimento mais célere e eficiente não hesite em contactar-me, terei o maior gosto em dar-lhe a mão nesta sua caminhada.

Partilhar é cuidar!

shares
Não copie o texto!